quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Déjà Vu!


Eis que agora até o Vice-Presidente para a área financeira surge no panorama vitoriano a defender uma SAD para o Vitória, um claro contra senso em relação á posição emitida por Emílio Macedo da Silva.
 Nada nos surpreende em relação aos diferentes pontos de vista dos elementos que compõem a direcção Vitoriana, inclusive foi “esta divergência de pontos de vista” que originou em Dezembro de 2007 a saída de Luciano Baltar da direcção presidida pelo também Emílio Macedo da Silva, portanto mais uma vez aguardamos serenamente que o Vice coloque outra vez o seu lugar á disposição.
 Mas o que mais estranhamos é a rapidez com que Luciano Baltar fala acerca de um assunto para o qual nem sequer estava preparado para responder, ao contrário das explicações que o mesmo teria e terá de dar em Assembleia referente á área que ele lidera.
 Todos sabemos que Luciano Baltar nunca será um nome consensual dentro da estrutura do Vitória, pois além de clubismo duvidoso, tem a hábil capacidade de surpreender o Universo Vitoriano ao ter sido o enquanto Vice para a área financeira um grande obstáculo á elaboração de uma auditoria externa às contas do clube referentes á presidência de Vitor Magalhães.
 Luciano Baltar é apenas mais um que se junta á enorme bola de neve que está a surgir em relação á criação de uma SAD, deixando escapar que a mesma é necessária para ombrear com as outras equipas na luta por títulos, infelizmente nunca falou em profissionalizar as estruturas do clube.
 Luciano Baltar, tal como o fez João Cardoso exprimiram-se única e exclusivamente no sucesso do futebol profissional e que nos sugere que eles não estão nada preocupados com as modalidades amadores e com o conceito de clube ecléctico que o Vitória é para os seus associados e região.
 Julgamos que até á próxima assembleia iremos ouvir muitas vozes a debaterem este tema e não ficaríamos muito surpreendidos se o mesmo aparecesse na Ordem de Trabalhos da mesma. Sabemos que até para o Presidente Emílio Macedo da Silva seria um pretexto para não lhe cair a mascara ao ter prometido que enquanto fosse Presidente o Vitória não seria constituído SAD. Pois como “bom” Presidente que é, aceitaria, embora contrariado a constituição da mesma.
 Inclusive já temos vários protagonistas prontos a fazerem o frete de lançar o tema na próxima Assembleia.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Tamanho!


Será que somos um Grande pequeno ou um Pequeno Grande?
 Eis uma dúvida que muita gente nos coloca e nós temos sempre um Enorme dificuldade em responder.
 Temos notado um interesse fora do comum nas tertúlias Vitorianas acerca da Profissionalização dos Quadros do Vitória, quer seja pela Criação de uma SAD ou não. Temos vindo a notar que muita gente anda preocupada com quem deverá ocupar os devidos lugares, estamos a notar uma quantidade considerável de candidatos predispostos a se sacrificarem por um lugar.
 Não temos dúvidas que existe no Universo Vitoriano gente capaz de exercer funções dentro de um organograma profissional no clube, mas não entendemos a razão de haver sempre uma grande repetição de nomes do passado.
 Temos repetidamente abordado o assunto e não temos duvidas que o Vitória, apesar de mal gerido, de ter vindo a perder força no panorama futebolístico, de ter vindo a ser espoliado dentro e fora de campo, de ter vindo a perder respeito por parte das outras equipas e seus presidentes, tem para qualquer emergente a figura publica uma exposição mediática que mais nenhum holofote lhe dá.
 Não é portanto novidade que com a actual crise, muitos são os candidatos a lugares no Vitória, pois tal como acontece nos dias de hoje, o dia de amanhã tende a ser ainda mais visível essa exposição e consequente mais-valia para os protagonistas tirarem dividendos particulares.
 Temos por força do passado a desconfiança á flor da pele, não por pensar que as pessoas são todas iguais, mas sim por saber que as pessoas se tornam todas iguais.
 Estamos expectantes pela próxima Assembleia, julgamos que vai ser a mais difícil e decisiva para o futuro do nosso Vitória, não que pensemos que iremos acabar, mas sim por pensarmos que muita coisa vai mudar.
 Estamos expectantes no Teor da Ordem de Trabalhos, nos relatórios a apresentar e acima de tudo, na posição que desta vez o Presidente da Mesa de Assembleia vai tomar.
 Uma longa espera se advinha para uma longa noite de intervenções.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Começa hoje!


Existem várias reflexões que nos fazem pensar que o Vitória por muito Grande que seja nunca deixará de ser gerida por Gente pequena.
 Temos três candidatos assumidos a alternativas a esta direcção, mas todas elas estão á espera que outros dêem o primeiro passo para depois surgirem tal e qual “Abutres” para se emergirem das trevas como D. Sebastiões.
 Pinto Brasil, Luís Freitas têm vindo através dos seus órgãos de comunicação dando mostras de intenção e temos Pimenta Machado que através do seu “Mandatário” tem surgido do “Além”.
 Temos então três que não fazem um, porque todos os três não se perfilam como alternativas, mas sim como necrófagos de uma podridão instalada e prontos a tentarem saciar-se com os restos deixados por esta direcção.
 O Vitória precisa de gente que tenha como único propósito “Servir” sem nenhum “se” no prolongamento da palavra, o Vitória precisa de gente que se assuma desde já e não de gente que está á espera de ver o que a maré arrasta até á praia, o Vitória precisa de pessoas que sejam activas no processo de destituição desta gente mesquinha, sem ideias, expectante e subserviente a outros clubes que neste momento poluem os mais altos cargos do Vitória.
 Esperamos que o que nos foi transmitido no passado sábado siga em frente, pois nada nos dará mais prazer em ver o Vitória liberto de gente que se “Serve” em vez de “Servir”.
 Não podemos perder nem mais um minuto com gente que irá apresentar o mais alto embaraço financeiro da História do clube num Relatório e Contas de um ano em que mais receitas directas entraram nos cofres da instituição.
 Estamos também atentos que seja indicado o nome para o Vice-presidência do Vitória, nome esse que irá embaraçar muita gente e então também passaremos a saber qual foi o propósito de o actual Presidente da Mesa da Assembleia Geral ter vindo a terreiro pedir para os Vitorianos começarem a pensar num novo modelo de Gestão.
 Infelizmente os últimos resultados desportivos não têm sido favoráveis para o Vitória, muito particularmente para esta direcção que está á espera de essa almofada para a próxima Assembleia, porque seria muito mais fácil lançar a discussão com Vitórias.
 Portanto dizemos, aos três “alternativos”, assumam-se e não se refugiem apenas nas intenções dos Sócios e aos que no passado sábado nos abordaram com a recolha de assinaturas, não se acanhem, mas tal como vos dissemos, não tentem ser trabalho para outros, ao destituírem-se, assuma-se como Candidatos á Presidência do nosso Vitória.

domingo, 25 de setembro de 2011

Porque já ontem era tarde!

Nunca mais!

Foi nos comunicado que amanhã irá começar uma recolha de assinaturas para destituir o Emílio Macedo da Silva do seu “sacrifício” de ser Presidente do Vitória Sport Clube.
 Somos da opinião que as eleições devem ser sempre antes do final do ano civil e não no final do ano desportivo, pois assim tem a possibilidade de preparar logo em Janeiro o ano desportivo seguinte.
 A direcção de Emílio Macedo da Silva tem o seu projecto desportivo esgotado, vive á sombra dos feitos “quase”, porque quase conseguiu tudo mas infelizmente não conseguiu nada.
 Portanto, não lançamos aqui uma candidatura, porque infelizmente não temos pretensões a liderar a nossa “Paixão”, mas tudo faremos para que estes parasitas se ponham no caralho de uma vez por todas.
 Tal como dissemos, estamos á espera que digam aonde colocar o nosso nome, estamos dispostos a percorrer todas as trevas para que haja Vitorianos de pura Sentimento dispostos a enfrentarem o caminho.
 Sr. Emílio, se tiver dignidade hoje mesmo coloca o seu lugar á disposição para que outras alternativas possam dar o passo de uma forma mais pacifica e condizente com a grandeza da nossa instituição, mas se tiver que ser de uma maneira diferente, assim o faremos, pois infelizmente já estamos fartos de tanta vulgaridade patente desde o topo da pirâmide até ao mais simples aspectos do clube.
 Infelizmente não podemos esperar que esta direcção vá para a frente com a sua pretensão de constituição de uma SAD, pois a ultima declaração foi tudo menos inocente e não podemos esperar que nos faça a “surpresa” de anunciar o próximo Vice-Presidente.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Quem lucra com a morte de uma Paixão?


Eis que surge novamente na ementa do dia um prato chamado SAD, prato esse que só é apetecível para quem não olha para o lado direito da ementa, porque não entendemos quais as motivações para alguém, hoje em dia, com a actual conjuntura económica querer apostar num SAD, principalmente no Vitória.
 Depois da “Edite Estrela do Futebol” chamado Manuel Machado, foi agora o Presidente da Assembleia Geral do Vitória, Dr. João Cardoso, que veio colocar novamente o tema nas bocas dos Vitorianos, julgamos que essa intenção não é inocente, inclusive quando neste momento estaria o Clube a rever os seus estatutos, claro que outros interesses se elevam sem ser o de respeito pelos simples sócios, mas sim de uma pequena franja de empresários que talvez tenham interesses de fazer circular os seus dinheiros por Fundos de Jogadores e com os capitais a serem depositados em Ilhas e Países inimagináveis para quem apenas se senta nas bancadas do D. Afonso Henriques para aplaudir uma equipa de futebol.
 Dr. João Cardoso veio numa conversa de circunstância falar em Formas Jurídicas e Modelos de Gestão que devem ser remodelados no Vitória Sport Clube, nada mais verdadeiro em relação a esse assunto e só ficamos parvos pois já nos intrigamos pela demora de alguns avanços realizados pela Comissão para alteração de estatutos.
 Claro que perante tanta asneira feita pelos actuais Corpos Sociais do Clube nos faz pensar em grandes mudanças, pela profissionalização dos colaboradores, pela contratação de meios feitos pela competência e não por um ou outro favor pessoal, pela transparência das contas, pelo alcançar de objectivos, pelo rigor nos Orçamentos, por um infindável número de pequenas coisas que encravam todos os resultados finais numa instituição como o Vitória.
 Não há uma única SAD em Portugal que seja viável, de todas as SAD’s criadas, ou faliram ou estão em falência técnica, acumulando prejuízos e em constante desvalorização. Vemos patrimónios a serem usados para cobrirem empréstimos, vemos investidores sem passado a realizarem dinheiro com a compra e venda de jogadores sem que os clubes possam efectivamente dizerem que tiveram lucro, vemos sim os seus administradores a engordarem as suas contas bancárias, tudo isto mesmo quando o clube não alcança os objectivos e quando dão prejuízo.
 Sr. João Cardoso, como líder dos simples sócios, teria de ter uma posição mais real da verdadeira vontade dos mesmo, ou seja, exigir a clarificação de todos os reais problemas que se acumulam no Vitória, exigir que em Assembleia o Presidente da Direcção responda claramente ao que é solicitado.
 Sr. João Cardoso, nós Vitorianos não queremos que o Futebol e o Património do Clube sejam discutidos em assembleia de Accionistas e que depois se coloque em Assembleia de Associados os dados adquiridos nessas negociatas e apenas a discussão das modalidades amadoras.
 Nós não aceitamos que o Vitória substitua a Paixão pelo mercantilismo, não aceitamos que o Vitória substitua as Famílias pelo empresário, não aceitamos que substitua a Voz do Povo pelo comunicado escrito por um funcionário.
 Infelizmente, temos perdido a identidade que tanto nos caracterizava, hoje em dia vivemos de uma cama que há muito já não nos deitamos e isso não é por vontade do adepto/sócio, mas sim por falta de visão de quem nos dirige.
 Porque independentemente do modelo de gestão que se queira implementar no Vitória, independentemente da forma jurídica, se continuarmos com a mesma gente á frente dos destinos do clube, será um desperdício de tempo, dinheiro e oportunidade.
P.S. Sr. Emilio Macedo da Silva, acabamos de ler que o Sr. ia pensar em relação a uma candidatura ao proximo mandato. Por favor, o Sr. está a cometer dois erro, apenas numa frase. Uma é em pensar, porque sempre que pensou só fez merda, outra é o proximo mandato e aqui dizemos, por favor deixe imediatamente este, pois já nos fez mal que chegue.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

1143 - 1922 - 2011


22 de Setembro de 1922
 Hoje, dia de Aniversário do Vitória Sport Clube escrevemos por varias razões, por alegria, por tristeza, por preocupação e por declaração.
 Por Alegria, porque mais um ano passou e continuamos por cá para o celebrar. Mesmo com crises financeiras, com perda de poder de compra, mesmo com a falta de emprego na região, continuamos com mais de 25.000 crentes num símbolo, numa figura, num emblema.
 Por Tristeza, porque neste ano que findou passamos ao lado de grandes alegrias e de conquistas. Estivemos no Jamor, estivemos na Europa, estivemos na Supertaça e devido á falta de atitude e ambição, patenteada por quem nos dirige, perdemos a oportunidade de conquistar algo que nos faça mais feliz do que somos ao seguir o nosso clube.
 Por Preocupação, porque vemos as mesmas figurinhas que nos dirigem serem constantemente a serem “comidos” e a deixarem-se ficar e não notamos que esta gente aprenda com os sucessivos erros.
 Por Declaração, porque está na hora de dizer “Chega”. Estamos fartos destes dirigentes, que apesar de terem ganho duas eleições ainda não perceberam o real sentimento vitoriano e mais não fazem do que aproveitar-se do Clube para os seus próprios intentos.
 Sr. Presidente, não precisa de vir a terreiro dizer que nós não damos valor às suas perdas pessoais em relação ao tempo perdido no Clube, nós até nem lhe levamos a mal se decidir ir já embora, até agradecemos a imediata colocação do lugar á disposição, porque estamos fartos de o ver a ser um estorvo, um retrocesso, um empecilho no Vitória.
 Estamos farto de o ver a ser subserviente por causa dos seus negócios particulares, estamos fartos de ver a sua equipa a aproveitarem-se do clube, estamos fartos de ver que se sentem envergonhados por representarem o Vitória.
 A partir de hoje, dia de Aniversário, iremos empreender uma campanha que apenas acabará no dia em que o senhor e sua equipa renunciarem aos lugares para darem oportunidade a Vitorianos de serem os detentores por direito em se exprimirem em Nome do Clube.
Foto no topo é da equipa que conquistou o primeiro titulo oficial para o  Vitoria Sport Clube. Campeonato Distrital de Infantis da Associação de Futebol de Braga, no ano de 1927.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Por muito perfume que coloquem...


… o cheiro nunca desaparece!

Mais uma vez vimos aqui demonstrar o sentimento de inferioridade da equipa do Sporting Clube de Braga, equipa essa que através de um filho de pai incógnito chamado Alan, capitão dessa referida equipa, que antes de entrar em campo na passada segunda-feira recusou entrar de mãos dadas com miúdos das camadas jovens do Vitória.

Claro que esse filho de pai incógnito chamado Alan, apenas fez o que outro filho lá prós lados do Picoto gerado chamado António Salvador lhe manda.
 Pior que o gesto de não querer entrar em campo de mãos dadas com miúdos que apenas gostam de jogar futebol, foi a desilusão dos miúdos poderem entrar em campo com duas equipas de futebol profissional.
 Esses excrementos de camelos que tiveram a brilhante ideia de estragarem um momento de felicidade de miúdos de 10, 11 e 12 anos, mais não merecem que ficar nas estradas do Picoto á espera que alguns lhes enrrabe e não lhes pague.
 A revolta perante tal barbaridade é pior porque alguns desses filhos da puta que não quiseram entrar de não dadas com os miúdos, em tempos até o cú dariam para poderem entrar em campo de mãos dadas com as equipas.
P.S. Aos filhos da puta dos braguistas que por aqui andam e não gostam da minha linguagem, ninguém lhes pediu para cá virem ler e muito menos copiar os post e colocarem com traduções e interpretações manhosas em sites de merda.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Em Moura há um Castelo a conquistar!

Não deixa de ser irónico ter ao Vitória caído em sorte uma equipa chamada Moura.
 Não por ser uma equipa alentejana ou de um escalão secundária, mas sim, porque nada melhor que começar um novo trajecto de conquista que a Equipa do Rei bater se com uma equipa com tal nome.
 Novamente sonhamos com uma Final no Jamor, todos os anos têm sido assim e este ano não será excepção e se pensarmos que como finalistas da última edição temos a obrigação de nos fazer representar novamente em tal momento, não podemos deixar de pensar que também o actual treinador esteve presente numa final a época anterior e como tal também ele deseja novamente estar nos palcos que decidem quem tem a ambição em levantar um troféu.
 A Taça de Portugal é useira e vezeira em pregar partidas e equipas de calibre superior menosprezarem equipas que nada têm a perder, a não ser o seu orgulho, por isso aqui manifestamos a nossa voz para dizer a quem de direito dentro do nosso clube que não há desculpas para ter o levantar da Taça na Final do Jamor como um objectivo para este ano.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Edgol marcou e Pedro equilibrou!

Depois de terem jogado com equipas como Rio Ave, Young Boys, Marítimo, Setúbal, Gil Vicente e Birmingham, essa equipa que se diz grande veio ao D. Afonso Henriques jogar o primeiro jogo para Homens de Barba Rija da época e não fosse Pedro Proença a apitar contra a Bancada teriam perdido o jogo.
 Há dias atrás tínhamos dito que Pedro Proença “deve ser mesmo o único árbitro que ajuíza em função da bancada” portanto, não nos surpreendeu a quantidade de faltas assinaladas sobre Alan, porque mais uma vez nos deu a conhecer a triste realidade porque jogamos em Portugal e gostarmos de ver os jogos em Inglaterra.
 O que mais nos surpreendeu foi a falta de pernas dos jogadores do Vitoria, infelizmente a equipa foi amputada logo no aquecimento com a lesão de Urreta e durante o jogo assistimos a dores de Toscano, Faouzi e Paulo Sérgio.
 Eis um trabalho que deve ser de reflexão e ponderado pela equipa técnica.
 Temos agora que olhar em frente e pensar que o campeonato a partir de agora deve ser encarado como o inicio, pois já jogamos contra Porto, Benfica Nacional e Braga e apesar de os próximos dois jogos serem de difícil grau de dificuldade, não nos assustamos.
 Não fosse o Pedro Proença tentar incendiar as bancadas, teríamos com certeza ganho o jogo.
 Duas pequenas considerações acerca da organização dos jogos.
1)      Já sabia, mas hoje tenho a certeza, a Policia de Guimarães são uns nabos de primeira, porque não conhecem a dinâmica da cidade de Guimarães e não têm trabalho de casa feito, pois foi vergonhoso terem interrompido o acesso de quem vinha de Ponte e de Fafe e ainda assim terem desviado o todo o transito que circulava dentro da cidade trânsito para as portas do estádio numa hora de ponta e em que milhares de Vitorianos tinham como destino o Estádio. São uns mentecaptos completos.

2)      Aos filhos da puta que levam petardos para dentro de um recinto desportivo só lhes posso desejar que qualquer dia fiquem sem dedos ou pior, esse filhos da puta mais uma vez prejudicaram gravemente o clube com as suas acções, espero que esses filhos da puta sejam apanhados e expulsos dos recintos desportivos para sempre.

sábado, 17 de setembro de 2011

A diferença!

Ultimamente temos sido inundados com um bom trabalho realizado pelo Gabinete de Comunicação do SCB para disfarçar a sua inferioridade em relação ao nosso Vitória.
 Vários órgãos de comunicação social têm recebido instruções para lançarem notícias em relação ao número de associados e cadeiras vendidas entre os dois clubes e nós temos achado imensa piada ao que se tem dito acerca deste assunto.
 Não vamos enumerar o número de associados de cada clube, mas vamos tecer uma ou duas considerações e comparações entre esse clube sem Estádio e outros que se julgavam grandes e que estão quase a serem uma pequena lembrança de um passado recente.
 SCB tem tido o cuidado em afirmar-se como um clube que tem mais associados do que o nosso Vitória, mas nós estamos a cagar para essas notícias, porque temos uma noção real do que esse clube é.
 O que podemos dizer de um clube que vai ao longo do ano oferecendo cartões de associados a miúdos nas creches e escolas primárias do Concelho de Braga, o que podemos dizer de um clube que dá cartões de associados em compras superiores a 10 Euros no Bragaparque, o que podemos dizer de um clube em que o Presidente oferece bilhetes, transporte e refeições para os seus “associados” acompanharem a equipa ao Estádio de um Clube que fica a apenas 20 quilómetros de distancia?
 O que podemos dizer de um clube em que os associados acham estranho terem de pagar cotas mensais para assistirem aos jogos num Estádio que pertence a todos os Portugueses, o que pensar de um clube que se vangloria de ter o ISO 9001:2008 em Eficiência de Gestão mas que nem sequer consegue ter um sistema de controlo de entradas funcional no Estádio que é gentilmente cedido por todos nós?
 O Braga tem nos feito lembra do nosso Querido Boavista, que infelizmente tem andado pelas Avenidas da amargura depois de ter sido Campeão Nacional e que neste momento nem sequer consegue inscrever a equipa de futebol num campeonato Não Profissional.
 Lembramos nos dessa época famosa, de assistirmos a quase todos os jogos no Estádio do Bessa, lembramos nos de ter direito aos ingressos e eles ficarem agradecidos de verem gente nas bancadas, claro que depois a falta de receitas, por muito pequena que seja se faz sentir nas épocas de maior aperto financeiro.
 Mas mais do que o actual número de associados, o que nos faz escrever é sim uma coisa que isso sim demonstra a grandeza de um clube: a sua Vitalidade.
 Aí Amigos, eles cingem-se á sua insignificância, basta ver como caímos e voltamos de cabeça erguida, basta ver o acompanhamento das nossas camadas jovens, basta ver o que acontece nos jogos das modalidades “ditas” amadoras, basta ver o que acontece quando em Guimarães se fala do clube.
 Outro sinal de Vitalidade é a questão da discussão á volta do clube e cá no burgo isso é uma constante e basta relembrar que apesar de estarmos a uma longa distância da eleições não faltam candidatos para o lugar, uns melhores outros piores, mas não temos de estar á espera que o Presidente da Câmara vá de joelhos a casa do Presidente cessante para lhe oferecer mundos e fundos dos contribuintes portugueses para o clube não cair num vazio directivo.
 Portanto, meus senhores que estão preocupados em quem tem mais ou quem tem menos, não fiquem preocupados com isso.
 Nós apenas queremos saber quem são os melhores e isso já há muitos anos que um País inteiro sabe!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Any Given Sunday


“UM DOMINGO QUALQUER” deve ser um dos filmes de eleição que temos no que se refere ao Desporto, não só porque também adoramos Futebol Americano, mas porque tem no seu elenco o único actor que tem aqueles 5 minutos que nos fazem sentir que o Cinema é mesmo a Sétima Arte, Al Pacino.
 Al Pacino na generalidade dos seus filmes tem aquele momento único em que assistimos á magia do cinema e em “Any Given Sunday” tem um momento memorável que nos faz sentir que pertencemos á equipa que ele comanda e são momentos desses que também nos servem para reflectirmos sobre a nossa própria vida.
 Está a chegar aquele jogo que nós Vitorianos mais aguardamos, está a chegar o verdadeiro Derby.
 Para nós não há jogo igual, por razões várias e que ocuparia um infindável número de linhas em esclarecer todas, é o jogo em que sentimos uma atmosfera diferente no Estádio, é um jogo que independentemente do momento da equipa, entramos no estádio com o Orgulho em Alta, é o jogo que não conseguimos dar uso á cadeira, é o jogo em que levamos á letra o “até que a voz nos doa”.
 Se podermos de alguma forma dar uma pequena sugestão a Rui Vitória é que na Segunda-feira depois de almoço, reúna toda a sua equipa e vejam este filme e se lembrem que quando Al Pacino estiver nos seus 5 minutos, não vai estar a falar apenas para dentro do balneário, mas sim para todo o estádio.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Por qué no te callas?

Não há nada melhor que começar um post com uma frase mítica bem dirigida por um outro Rei a um bronco.
 “Por qué no te callas?”, deveria ser a máxima para todos os Vitorianos usarem sempre que Pinto Brasil sai do seu nefasto ninho e dizemos isto porque fomos inundados com mail’s a perguntarem se nós estaríamos ao serviço desse emergente Vitoriano e isso deixa-nos ainda mais fodidos.
 Mas ao lermos o seu último manifesto verificamos que temos noção que muita gente pode ter sido levada a pensar nisso, devido a um post que há dois dias escrevemos.
 Infeliz os seus subditos que usam a blogosfera como barómetro vitoriano para fazerem crescer a imagem de Pinto Brasil como um possível “D. Sebastião” Vitoriano, mas contudo deveriam ter em atenção a todas as “postas” que são lançadas por esses mesmos blogs antes de retirarem de lá algumas ideias.
 Pinto Brasil será sempre um clone de Emílio Macedo da Silva, com a nossa certeza que a cópia é ainda pior que o original e não tivesse tido a excelente companhia de alguns Vitorianos de primeira água, a candidatura de Pinto Brasil em tempos atrás teria morrido á nascença, claro que o dinheiro faz a diferença mas infelizmente não compra o “saber estar”, o “sentimento vitoriano” e educação.
 Não é para nós novidade em saber que Pinto Brasil necessita do Vitória, tal como sabemos que felizmente o Vitória não precisa de Pinto Brasil, não é para nós novidade que o Pinto Brasil “deseja” ser Presidente do Vitoria, tal como sabemos que são poucos que o desejam como Presidente.
 E então dizemos: Sr. Pinto Brasil, não tem idade nem moral em falar ou criticar esta vergonhosa direcção presidida por Emílio Macedo da Silva, basta ter como exemplo a sua falta de liquidez que o ano passado fez mossa na Secção de Volei do Vitória.
 Por favor, desapareça e dê espaço para que outras candidaturas de Vitorianos de primeira água possam surgir e que não tenham de imaginar em debater “argumentos” com o Sr., pois é devido a gente como o Sr. que infelizmente outras hipóteses se retraem para não se verem envolvidos em bate boca calão perante um país desportivo que reconhece o Vitória como sendo o 4º Clube mais representativo de Portugal.
 Infelizmente não podemos usar duas vezes a fantástica frase de D. Juan Carlos de Espanha, mas podemos usar uma linguagem que o Sr. bem reconhece.
 “Porque não te pões no caralho?”

S. Tomé ou CNN


Pois é, esta merda de ter amizades virtuais é o que dá.
 Já sabíamos que Duarte Gomes era hipócrita ao dizer que é benfiquista de Alma e Coração mas em campo era apenas um árbitro, como se essa merda contasse para alguma coisa, mas que era mentiroso já desconfiávamos.
 Pois bem, agora a coberto da Teoria “nem é como S. Tomé”, lá veio Duarte Gomes desmentir o que escreveu para os seus “amigos” e espera que também lhe aconteça o mesmo que a Pinto da Costa e seus amigos em relação às “escutas” que não existiram.
 Razão tinha Pimenta Machado (honra lhe seja prestada por causa disso) ao dizer que no futebol “O que hoje é Verdade, amanhã é Mentira”, porque esta gentalha tem uma lata do caralho em tentar passar Atestados de Estupidez às pessoas que realmente gostam de Futebol.
 Duarte Gomes após o jogo em que favoreceu o seu clube do coração ainda teve o desplante de troçar sobre o mesmo, lolando à grande, claro que só o fez na sua esfera de “amigos”, infelizmente para ele, houve quem fizesse um Print Screen e o colocou na blogosfera, dando nos a oportunidade para ver quanto Hipócrita e Mentiroso é Duarte Gomes.
 Depois da Jarra, esperemos que o seu nome seja riscado dos jogos do nosso Vitória, pois só assim teremos a certeza que gentalha como Duarte Gomes nunca mais conseguirão prejudicar, mas sabemos também, que por cada Árbitro que cai, há dois que se levantam.
 Cada vez mais o “ver para crer” está em desuso, os benfiquistas agora inventaram “a intenção”, tal como Pinto da Costa inventou o “não conta” e começo a dar razão aos americanos quando eles dizem “só é verdade se passar na CNN”, pois hoje em dia já nem S. Tomé tem credibilidade.
 E por isso, bem gosto de mandar para a puta que pariu o Duarte Gomes, Artur Soares Dias, Pinto da Costa e outros de sua igualha!
 Mas sabem?
 Só o podem usar contra mim, se esta mensagem passar na CNN!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Jarra ou não jarra, eis a questão!


Pois bem, quando a casa arde chama-se o bombeiro de serviço.
 Pedro Proença, benfiquista de coração e sportinguista em miúdo vai arbitrar o mais intenso derby nacional.
 Depois das queixas de Emílio Macedo da Silva, eis que Vítor Pereira depois do pequeno almoço, oferece em bandeja de prata o “tal” melhor árbitro nacional, o “tal” que nem agrada a gregos nem a troianos, mas que devido á incompetência generalizada dos árbitros nacionais lá vai sendo o “tal” que em terras de cegos tem um olho.
 Temos por Pedro Proença uma enorme consideração, pois é o árbitro que é unanimemente considerado como sendo o mais arrogante, o mais hipócrita e que tem um enorme prazer ao ver as bancadas a arder e a contestar as suas decisões.
 Julgo que deve ser mesmo o único árbitro que ajuíza em função da bancada e não do jogo, independentemente de ser vaiado por visitados ou visitantes.
 Mas deixemos de tirar considerações antecipadas, porque se fossemos a elaborar mesmo as suas atitudes, julgo que Pedro Proença seria o melhor cliente da SmileUp em todos os jogos que o mesmo arbitra em Guimarães.
 E por falar em árbitros de “alta categoria”, verificamos que Duarte Gomes continua na jarra, dizemos contínua, porque ainda no sábado foi lugar onde mais tempo esteve antes do mal fadado jogo contra o Benfica, e por isso deixamos aqui o pedido a todos os juízes de partida para não irem para a Catedral da Cerveja almoçar, pois o tempo que passam agarrados à infusa de Cerveja causa perturbações visuais e azia.
 Nesta lógica também, gostaríamos de ter acesso ao relatório do Observador, pois um árbitro que vai para a jarra após ter feito um jogo “imaculado” como o de sábado, julgamos que a nota negativa atribuída e responsável por tal decisão, só pode ser por descuido de indumentária e falta de higiene pessoal.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A montanha pariu...

“Não quero alongar-me muito sobre este assunto porque então teria que ser muito duro e desagradável.”
Depois de tanta expectativa em relação ao roubo de catedral, depois de tanto frenesim acerca de Manuel Machado, podemos dizer que pariram um rato.
 Estávamos á espera de uma posição firme e dura, estávamos á espera de verem ser chamados os nomes aos bois, estávamos á espera de ouvirmos chamar Manuel de incompetente e mesquinho e eis que surge uma composição de escola primária de digna de figurar entre os piores trabalhos da turma.
 Em relação ao roubo, apenas mais do mesmo, um lanche com Vitor Pereira e como resposta teremos um cordial aperto de mão e vamos ouvir as partes dizerem que os árbitros erram e que vão trabalhar mais para darem menos erros.
 Achamos incrível que um dirigente que trata o 4º Clube mais representativo de Portugal como uma agremiação local possa pedir a profissionalização de uma classe corporativa já principescamente paga.
 Mas será que alguém acredita que estes árbitros vão ser melhores do que são se lhes pagarmos um ordenado e eles deixarem de esporadicamente terem outros trabalhos das 9 às 17 de segunda a sexta?
 Será que deixarão de ser incompetentes se forem profissionais?
 Melhor ainda, será que deixarão de ser subservientes a alguns clubes se tiverem um ordenado pago por todos os clubes portugueses?
 Em relação ao assunto que nos diz mais directamente respeito, temos agora a certeza que os dirigentes do clube mais não são do que “porcos” que com muito cuidado fogem da lama para não chafurdarem.
 A parceria entre Emílio Macedo da Silva e Manuel Machado deve ter um infindável número de esqueletos no armário que quando se começar a tirar as ossadas dos móveis teremos com certeza um cheiro pestilento a morte durante vários dias nos céus de Guimarães.
 Queríamos deixar uma pequena nota acerca do candelabro que estava junto de Emílio Macedo da Silva:
 Será que Paulo Pereira tem voz?
 Já não falamos dentro do Vitória, mas sim se tem mesmo voz, porque ao fim de 4 anos no clube, nunca ninguém o ouviu a emitir uma única opinião acerca da vida interna ao clube.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Em boca fechada...

…não entra mosquito, nem sai merda.
 Este podia ser um chavão a aplicar aos dois piores treinadores que iniciaram a época na Liga Zon Sagres.
 Comecemos com Manuel Machado, não sabemos o que pretende com o agora discurso “samaritano”, vir agora explicar que foi apunhalado pela Direcção Vitoriana é do mais ridículo que alguma figurinha pode fazer, pois ele mesmo faz parte de todo o processo de mediocridade que o Vitoria viveu nos últimos 15 meses, foi um treinador que durante toda a sua estada em Guimarães manteve um discurso sem ambição, sem atitude e de vitimização para os seus fracassos como treinador de uma equipa que merecia muito mais do que conseguiu.
 Manuel Machado acaba por se sentir como um marido atraiçoado, aquele que é o ultimo a saber, mas nós apostamos que seria mais o marido que sabia e inclusive dava cobertura aos devaneios da esposa.
 Vir agora, depois de dois bons jogos conseguidos por parte da equipa de Rui Vitória apenas reforça a nossa ideia que ele próprio se enquadra nas palavras caras que ele próprio tão eloquentemente gosta de empregar “...um cretino é um cretino e um vintém é um vintém”.
 Mas deixemos de falar de um Rei Morto, e viva o Rei Posto, pois esse sim tem nos dado motivos de vermos o Vitória até ao fim de um jogo sem nos sentirmos agoniados.
 Falemos agora de outro “cretino”, que infelizmente ao vislumbrarmos o currículo desse sr. vemos lá o sagrado nome do nosso “Vitória”.
 Jorge “Judas” Jesus, esse gigante da táctica, esse portento da psicologia desportiva, esse mago das conferências imprensas imaginárias.
 Desculpem, mas já estamos a alucinar tanto quanto ele, desculpem.
 Vir após um jogo falar o que falou acerca do jogo, não só denota uma enorme desonestidade intelectual como denota que em Portugal se vive num país imaginário e que qualquer coisa serve para disfarçar a merda de campeonato que temos.
 Não falamos só do que se passa em campo, mas acima de tudo o que envolve este miserável campeonato e a quantidade de gente que protege interesses milionários que gravitam neste meio.
 Houvesse coragem, teríamos uma televisão isenta, teríamos uma justiça desportiva cega, teríamos um futebol de qualidade.
 Mas toda a corja que tal como velhos abutres comem as carcaças de quem realmente gosta de futebol, não vão deixar de criar leis que os protegem e que lançam o futebol num rio lamacento de caos e casos.

domingo, 11 de setembro de 2011

La Liga Nostra

Não temos dificuldade em afirmar que somos o quarto grande em Portugal, somos, não numa questão qualificativa ou em orçamento, somos, porque temos anos e anos de história que assim o dizem. Infelizmente continuamos a ser um clube gerido por uma classe inferior de dirigentes que apenas usam o clube para seu proveito pessoal e empresarial.
 Se houvesse o mínimo de decência por parte dos actuais elementos dirigentes do Vitoria, amanha mesmo haveria uma conferência de imprensa a insurgir-se contra a escandalosa arbitragem de mais um prostituto ao serviço de interesses maiores do Futebol Português.
 Por muito menos já houveram comunicados e lamentações, por muito menos já outros clubes faziam cair o Carmo e a Trindade, por muito menos já o povo se revoltou e apertou quem não devia.
 Nós não acreditamos em Verdades Absolutas, mas o que é visível aos olhos de todos não pode continuar a ser camuflado só porque altos interesses de equipas terceiras não podem ser afectadas.
 Estamos a falar de quem nos tem de defender, estamos a falar que se for preciso temos de chamar mentirosos a quem principescamente pago altera a verdade por causa de audiências televisivas, estamos a falar em defender a Honra e Dignidade não só de um Clube, uma Cidade ou Região, mas sim de toda uma Verdade Desportiva que vem sendo alterada impunemente.
 Se a Direcção presidida por um canastrão chamado Emílio Macedo da Silva não tiver hombridade de liderar um movimento de igualdade para todos os clubes portugueses, então não está á altura dos pergaminhos de um clube que honrosamente é conhecido com sendo inequivocamente como 4º Grande, nem mensageiro de uma das mais fiéis massa adeptas do mundo.
 Sr. Emílio Macedo da Silva, se achar que fazer frente às máfias instaladas no futebol português atrapalham os seus negócios com os líderes de outros clubes, então vá para a puta que o pariu, pois além de não servir os interesses do Vitória, o Sr. é tão corrupto quanto eles.

sábado, 10 de setembro de 2011

Duarte Gomes - 3 : Benfica - 2 : Vitória - 1

Existe gentalha que não havia de poder respirar e infelizmente somos sempre prejudicados por esses filhos de pais incógnitos.
 Duarte Gomes é um desses casos, tal como é Artur Soares Dias e outros da sua semelhança. Não vamos sequer debruçarmo-nos acerca desses prostitutos de insígnias FIFA, vamos sim esperar que alguém nos defenda nos próximos dias, porque se assim não for, vamos então sim começar uma guerra que não vai parar.
 Se Emílio Macedo da Silva não tomar uma posição de força perante a puta da roubalheira que assistimos no Estádio da Luz, outro caminho não tem, que não um aperto que se já impunha há muito.
 Esses infelizes que comandam os destinos do Vitória, Emílio, Paulo Pereira, Luciano Baltar e outros vermelhuscos que estão na direcção não disseram algo acerca disto, então estamos falados, só se exige uma coisa, a imediata destituição da direcção do VSC e pedirem para irem todos para o raio que os parta.  

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

645.000,00€


Eis que á 4ª jornada temos patrocinadores nas camisolas sagradas do VSC, não me importa que sejam sorrisos ou até que tenhamos que ver a palavra Boavista inscrito nas costas, porque o dinheiro é sempre bem-vindo.
 O que já não toleramos é que o valor seja inferior ao orçamentado para a época, porque se assim for, então estamos a ser mais uma vez desfalcados em relação ao que orçamentamos e isso acarreta prejuízos para o clube.
 A camisola no inicio de época valia 645.000,00€, para nós é apenas um valor, pois para os vitorianos a camisola não tem preço, mas já que a direcção a orçamentou para esses valores, então mais não têm que fazer que apresentar esse montante, porque se assim não for, temos mais uma vez a certeza que quem elabora o orçamento para a época não passa de um aselha que pega nuns números á sorte e apenas os coloca lá para preencher o espaço o espaço vazio.
 O que nos mais apoquenta é que com tanto empresário e industrial nos órgãos sociais do clube, mais uma vez fica provado que como directores do VSC não querem que as suas empresas paguem ao VSC, pois nem um único elemento da direcção lá colocou um único nome das suas empresas.
 Mas muitos deles como empresários querem a imagem do VSC de borla ligadas às suas empresas.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Postal Ilustrado

Porque não me parece correcto nem sustentável continuarmos, nós vitorianos, a viver num clima de contestação à actual Direcção, sendo esta feita de forma latente e não assumida por nenhum rosto, comunico a todos aqueles que amam o nosso emblema e são apologistas de um novo rumo para o Vitória Sport Clube, que eu, Luís Miguel Freitas, serei candidato à Presidência da Direcção, na eventualidade de não surgir nenhuma candidatura alternativa à presente gestão do clube.

 Tivemos conhecimento tardio deste comunicado do Sócio Luís Miguel Freitas e verificamos que infelizmente a sua candidatura morreu imediatamente no final do primeiro paragrafo, pois já existem pelo menos duas alternativas à presente gestão do clube, Pinto Brasil e Pimenta Machado, isto claro, se tivermos em conta às ultimas intervenções de Pinto Brasil e se acreditarmos nas palavras do Bruxo de Fafe em relação a Pimenta Machado.

 Claro que perante tais possíveis candidaturas, qualquer Vitoriano imagina que não haverá candidatura alternativa á presente gestão, mas como os Homens se medem pelas suas palavras, Luís Miguel Freitas irá com certeza deixar que os macacos se exibam na caça ao protagonismo de figuras ridículas.

 Temos pena que perante a afirmação que finaliza o primeiro parágrafo, vejamos uma alternativa capaz de diferenciar-se pelas ideias do comum Vitoriano ficar fora dos debates hipócritas do ver quem "a tem maior".

 Infelizmente também temos de dizer que o Sócio Luís Miguel Freitas apesar de querer a mudança não a quer provocar, porque se realmente quisesse ser alternativa não comunicava “Se o Vitória precisar de mim” mas afirmaria “O Vitória precisa de mim” e não seria alternativa se mais ninguém aparecesse, mas seria alternativa imediata e provocaria umas eleições antecipadas.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Pero que las hay, las hay!


A manifestação convocada por Fernando Nogueira, sócio do Vitória e também conhecido como "o Bruxo de Fafe", para a porta de casa do antigo presidente Pimenta Machado ficou sem efeito. Fernando Nogueira disse a Record que o momento não é oportuno pois "o Vitória conseguiu um importante triunfo na Madeira e isto podia ser encarado como uma manobra de desestabilização e o que mais queremos neste momento é que a serenidade regresse". De qualquer maneira, Nogueira faz questão de referir que Pimenta Machado reagiu afirmativamente ao apelo que lhe foi dirigido por um grupo de sócios "e será candidato nas próximas eleições do clube".
 Ora bem eis uma notícia que nos traz diversas preocupações.
 Sabemos que um clube como o Vitória não tem muitos “notáveis”, mas também chegamos á conclusão de não precisamos deles, e se os mesmo forem da estirpe deste “bruxo” então estamos falados.
 Mas o que mais nos preocupa mesmo é saber que Pimenta Machado está a pensar numa possível candidatura, pois o mesmo só tem relevância porque Spielberg está a pensar produzir e realizar a 4ª saga de “Parque Jurássico”, mas também sabemos que o mesmo terá como subtítulo “Extinção”.
 O “Bruxo de Fafe” deve ser o Vitoriano com pior timing que há, pois apenas surge quando o rumo dos acontecimentos já mudaram e o propósito dele já em nada tem influência no “novo” desenrolar da vida Vitoriana.
 Folgamos em saber que realmente estamos perante um “bruxo” sem bola de cristal, pois ainda a semana passada nos chegou aos ouvidos que o mesmo não “adivinhou” que iria ser “apertado” e que o mesmo apenas se sentiu no além devido á proximidade das “estrelas” que viu.

domingo, 4 de setembro de 2011

Rui (Vitória) Sport Clube!

Nem oito nem oitenta, mas puta que pariu, teve um treinador em cinco dias que fazer o que outro não conseguiu em um ano e três meses.
 Julgo que Manuel Machado deve estar a fazer um nó á corda para se enforcar pois hoje assinou a sua morte como treinador de futebol em Portugal.
 Bastou a mudança de discurso e mudança de atitude para que os jogadores do Vitória alterassem a sua ambição em campo, Rui Vitória não escondeu Faouzi e Faouzi não se escondeu do jogo e isso é de louvar, tanto para o treinador como para o jogador.
 A alegria que nós sentimos não nos deixa exprimir convenientemente o que nos vai na alma, pois com certeza mais do que elogiar quem quer que seja, iríamos insultar quem nos tem feito estagnar pela mediocridade nos últimos tempos.
 Parabéns aos jogadores e equipa técnica.
 Uma palavra para o nosso querido Director Desportivo José Pereira: “Melões são as pessoas que imaginaram que o senhor podia ser útil ao Vitoria.”

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Pintelhos!


Pintelhos são o que resta das conferências de imprensa anteriores para esta, porque podemos até não ganhar o jogo no próximo domingo, mas desde já fica a ideia que ganhamos um líder.
 Essa é uma diferença que emana da conferência de imprensa do actual treinador do Vitória, não há desculpas esfarrapadas, não há rodeios em abordar os assuntos, não há vencidos, nem vencedores antecipados, há sim vontade de agarrar o touro pelos cornos e partir para a luta.
 Desde há muito que não se sentia esta lufada de ar de conquista por parte do treinador, um ar de confiança, um ar de Vitória, mas de tudo o que treinador disse e que mais nos agradou foi “Se fosse em casa, seria melhor. Sabemos que o adversário nos quer vencer e tem uma equipa recheada de bons jogadores. Mas o importante é olharmos para nós e ver o que temos de fazer.”
 Sem rodeios, sem medo das bancadas, sem receios dos assobios, é assim que se abordam os desafios e é assim que se conseguem conquistas, sabemos que isto não é a Mata Real, mas ele também o sabe, por isso encarou o próximo jogo de peito aberto e sem modéstias e garante que tudo fará para trazer um bom resultado.
 Se não tivéssemos mudado de treinador, já estávamos derrotados por natureza, porque se não fosse pelo adversário, teria sido pelo que aconteceu na terça-feira, se não fosse isso, seria porque temos jogadores que não podem jogar por qualquer impedimento legal, ou então porque estão na selecção.
 Rui Vitória disse para quem quis ouvir que é com aqueles jogadores que vai á luta, pode não ganhar esta batalha, mas com certeza vai ganhar a guerra a que se propôs.
 E acerca dos incidentes não se quis pronunciar muito e achamos que fez bem, não vá algum parvalhão pensar que um bom resultado na Madeira ou no futuro tenha alguma coisa a ver com o que se passou no Complexo em vez de pensar que foi devido ao trabalho sério e honesto realizado pela equipa.
 Houvesse Vitorianos Profissionais assim e a esta hora talvez ainda estivéssemos na Liga Europa e com mais uma Supertaça no nosso Museu.

Será que há Cavernas na Penha?


Sabíamos que é difícil para algumas personagens viverem em sociedade, serem tolerantes, ser cordiais, ser educadas, mas o que não conhecíamos era que essas personagens conseguiam ultrapassar qualquer tipo de bestialidade.
 Faouzi não é um jogador soberbo, não é um predestinado, mas chegar ao ponto de o intimidar na sua esfera familiar, ultrapassa qualquer tipo de inteligência, ultrapassa qualquer lógica associativa, mostra sim a estupidez humana em todo o seu esplendor.
 Lamentamos que esses Homens das Cavernas não tenham tido educação, acreditamos que seus pais tenham feito o que melhor sabiam para os educar, mas infelizmente Inteligência não se adquire por 11 Euros por mês nas bilheteiras do Estádio D. Afonso Henriques.
 Será que após o conceito de “aperto” veremos surgir o conceito de “Homem das Cavernas” em Guimarães, em que qualquer bode expiatório terá como único direito a defesa após levar com uma mocada na cabeça?
 A esses neandertais que seguiram um Homem até casa e o “apertaram” no seu conforto familiar, ide prá puta que vos pariu, pois não mereceis viver em sociedade.
E nem sequer estais á altura do nosso insulto.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Harakiri

A pena é mais forte que a espada.
Voltaire
 O que não sabíamos é que os Ilustres Vitorianos iam começar a utilizar a pena para praticarem harakiri.
 É Presidente, é ex. Candidato, é Orgãos Sociais, é Associação, é Comunicação Social Local, pois dizemos, dentro de poucas horas não haverá ninguém em Guimarães e arredores que não tenham emitido um Comunicado referente aos últimos acontecimentos no Vitória.
 Infelizmente, são tantos comunicados que acabamos por nos distrair e acabamos por nos desviar do essencial, ou seja, o Amadorismo que reina no Vitória.
 Se os destinos do Clube fossem geridos de uma forma tão profissional como os Comunicados emitidos, então sim, seriamos um clube que disputaria o Campeonato até ao fim.
 Mas há uma questão que nos faz pensar, porque razão em tão diversificados Comunicados, cada qual tem uma interpretação diferente do significado “Verdadeiros”.
 Temos tanta vontade de estar com os que nós achamos ser os Verdadeiros Sócios Vitorianos, esses que nos ajudavam a entrar no velhinho estádio aos domingos á tarde, que se faziam passar por nossos avós mesmo sem nos conhecer de lado algum, apenas para sentirem que a próxima geração de Vitorianos estava salvaguardada.
 Esses sim eram os Verdadeiros, esses que se estavam cagando para quem eram os jogadores, o treinador ou o presidente, esses que apenas se interessavam pelo emblema, pelo jogo e pela companhia sagrada dos seus parceiros de bancada.
 Hoje em dia o termo “Verdadeiros” soa tão falso, quanto os Comunicados emitidos, mas que se lixe, enquanto tivermos coisas para ler, deixamos de nos preocupar com quanta merda que vemos.
 A todos os que são mais “Verdadeiros” que os outros, escusam de passar por cá, porque nós só nos interessamos pelos Vitorianos.

Zangam-se as comadres...


Vieram a lume declarações atribuídas a Manuel Machado, acusando a direcção liderada por Emílio Macedo da Silva de não ter gostado de ter dado uma entrevista à Antena 1/Record e de o fazer desviar “na filosofia que defendia de contratar jovens jogadores que mais tarde pudessem ser financeiramente rentabilizados”.
 Olhando para o passado do Professor verificamos que sempre teve uma capacidade de lançar jovens valores, jovens que geraram grande rentabilidade financeira nos clubes que treinou e assim por alto, lembrámo-nos de, lembrámo-nos de, lembrámo-nos de, Ok, depois tentamos descobrir quem são.
 Manuel Machado também afirmou, mas isso já sabíamos, que não queria nem Pedro Mendes, nem Nuno Assis, nem Olímpio, já para não falar em Fernando Meira ou César Peixoto, pois nós entendemos a razão de não os querer, pois deve ser difícil para um Professor ter menos conhecimento da matéria que os alunos.
 Como é possível não querer jogadores com alto nível de experiencia e querer jogadores que tiraram o curso das Novas Oportunidades numa qualquer região pantanosa do Brasil, ou então nas areias desertas do Sahara.
 E sobre esta matéria, vou deixar o Rui Vitória desempatar esta contenda. Vamos ver se os jogadores são ou não são dignos de vestir a camisola do Rei.
 Claro que não achamos estranho este tipo de timing ou declarações de Manuel Machado, apenas são a conclusão de todas as desculpas esfarrapadas que nos foi dando ao longo do tempo que esteve ao serviço do clube.
 Devemos ter tido o treinador mais injustiçado de todos os Campeonatos Profissionais, porque a ele tudo aconteceu.
 Claro que Emílio Macedo da Silva deve estar a esmiuçar toda a entrevista e junto do seus leais escudeiros a preparar a contra ofensiva ao Professor. Esperemos que ela não tarde, pois, tudo o que for lavar de roupa suja, deve ser discutido sem que as pessoas tenham medo de levar com a água.
 Manuel Machado propõe a criação de uma SAD, pois dizemos que novamente, o Professor ficou aquém das expectativas, pois um clube com a dimensão do Vitória, que nem sequer consegue arranjar um Patrocinador digno desse nome para constar na sua indumentária, onde iria arranjar dinheiro suficiente para criar uma Sociedade Anónima Desportiva digna desse nome, não precisa de uma SAD, precisa sim de uma gestão muito mais profissionalizada e deixar de ter Marretas a comandar os destinos do clube, do futebol, da equipa e nos treinos.
 Isto só para dar alguns exemplos.
 Claro que há gente que não gosta, mas que se lixem, não estamos aqui para os agradar.

Será que as contratações já fecharam?


Pois é. Emílio Macedo da Silva vai conseguir tirar mais um coelho da cartola, uma contratação sonante e que muito barulho irá criar nas hostes vitorianas.
Será como diz o ditado: Matar dois coelhos com uma cajadada só.
Depois sim, vai haver muita gente que não vai voltar a ler os nossos comentários.